• Café das Sextas: Junho 2007

    terça-feira, junho 26, 2007

    Ai as siglas, as siglas...

    "Fernando Negrão mete os pés pelas mãos em entrevista e confunde EPUL com Ippar e com EPAL"

    "O candidato do PSD à Câmara de Lisboa, Fernando Negrão, enredou-se hoje numa série de equívocos pouco abonatórios do seu conhecimento da autarquia."
    "Numa entrevista ao Rádio Clube Português, Negrão começou por defender a extinção do Instituto do Património Arquitectónico(ex-Ippar, actual Igespar) por este organismo ter deixado de construir habitação para os segmentos mais carenciados da população para acabar por declarar que a EPUL (Empresa Pública de Urbanização de Lisboa) «é, como todos sabemos, a empresa de abastecimento de água de Lisboa»."
    "Durante a entrevista, o candidato acabou por lançar suspeitas sobre o instituto que tem por missão defender os monumentos nacionais e outros imóveis de reconhecido valor, o antigo Ippar: «Se está no mercado a fazer concorrência directa aos construtores civis e aos promotores imobiliários não tem qualquer razão para existir. Ou regressa à sua vocação inicial, dar habitação a segmentos [da população] sem capacidade económica, ou extingue-se»."
    "Mesmo depois de o jornalista João Adelino Faria lhe ter chamado a atenção para o engano, Fernando Negrão continuou baralhado: «Eu estava a falar do Ippar, não da EPUL. Queria falar da EPUL». E, logo a seguir: «A extinção que admito é a do Ippar». E quando por fim entrou no tema EPUL foi para se alongar sobre os desperdícios de água na cidade, confundindo desta vez a empresa com a EPAL."

    O registo áudio da trapalhada está aqui e aqui.

    sexta-feira, junho 22, 2007

    Campanha eleitoral e outras insignificâncias

    terça-feira, junho 05, 2007

    Mais Kafka, menos Kafka, revejo-me

    Declaro-me eternamente grato àquela cepa de pais que, contra ventos, marés e a dissolução dos costumes, impõe aos seus rebentos os rigores e disciplina próprios de uma educação exemplarmente severa. Se os meus filhos são hoje adolescentes equilibrados, afáveis e cumpridores, a esses pais o devo (ameacei-as quando crianças de que, se o não fossem, os entregaria a uma família assim).

    segunda-feira, junho 04, 2007

    Aos trambolhões



    Para me descançar a mim próprio, coloco um grande parágrafo neste blog e vou-me passear, aos trambolhões, para outras paragens. Até já...