• Café das Sextas: Abril 2006

    quarta-feira, abril 26, 2006

    Atropeladores natos

    Depois de quase ter sido, mais uma vez, intencionalmente atropelado, passo a deixar aqui uma lista dos atropeladores em potência. Convido os potenciais atropelados (vulgo, peões) a engrossarem a lista. Este post vai ficar com ligação permanente na secção Links da barra lateral. Tenham cuidado, eles andam aí.

    2006-10-19 - 08-72-DC (Zurich - Companhia de Seguros, S.A.); Mercedes 190D; preto e verde - a passadeira e a sinalização vertical de travessia de peões indicam ao condutor que deve acelerar a fundo. ;)

    2006-09-13 - 93-22-VO (Previsión Sanitaria Nacional, Agrupacion Mutual Aseguradora Mutual Aseguradora (AMA) Mútua de Seguros A Prima Fija); Jeep Grand Cherokee; dourado - decidiu partilhar comigo a pista de ciclismo enquanto eu corria nela (a rua estava completamente livre, não havia motivo algum para circular com o automóvel pela pista de ciclismo).

    2006-09-13 - 43-51-HD (AXA Portugal - Companhia de Seguros, S.A.); Land Rover Discovery; branco - saiu em sentido contrário de uma rua de sentido único e não parou numa passadeira tendo me visto a aproximar dela.

    2006-06-05 - JG-26-35 (Companhia de Seguros Fidelidade-Mundial, S.A.); autocarro escolar - "espremeu-me" enquanto corria numa via reservada a bicicletas.

    2006-05-30 - 03-33-NE (Lusitânia Companhia de Seguros, S.A.); Skoda Octavia; azul escuro - não parou num stop imediatamente anterior a uma passadeira, tendo travado esforçadamente para não me atropelar.

    2006-05-30 - 09-48-FQ (Companhia de Seguros Tranquilidade, S.A.); Mercedes 190D; bege - não parou no vermelho de um semáforo, quando o verde para os peões já estava aceso há vários segundos.

    2006-05-02 - 50-54-NX (Companhia de Seguros Açoreana, S.A.); Toyota Yaris; cinza prata - vê-me (olha para mim, olhos nos olhos) e acelera em direcção a mim quando eu estava a atravessar a estrada, na passadeira.

    2006-04-26 - 84-04-PM (Mapfre Seguros Gerais, S.A.); Jeep Grand Cherokee; verde escuro - não parou num stop e descreveu, a velocidade que o impediu de parar na passadeira, uma curva cega a noventa grau.

    segunda-feira, abril 24, 2006

    Há males que vêm por bem

    Esclarecimento à TMN

    Quanto uma pessoa compra um telemóvel, não deseja passar o primeiro quarto de hora, depois de abrir a embalagem, a retirar a cola que prende o aparelho à "bela e funcional" caixa engendrada pelos vendedores de esquina que invadiram os departamentos de marketing das empresas de comunicações móveis.

    Não há necessidade de agarrar o telemóvel à embalagem com cola "super-forte" e também com uma abraçadeira tipo zip-tie...

    Já sabem: quando oferecerem a alguém um telemóvel embalado pela TMN, juntem ao presente uma tesoura e um frasco de álcool.

    quinta-feira, abril 20, 2006

    Deixa cá ver se entendo...

    "Tribunal absolve empresário e camionista acusados do homicídio por negligência de uma criança" in Público

    "No dia 4 de Março de 2002, o pneu de um camião que circulava em Porto de Mós soltou-se, resvalando para o recreio da escola primária local, onde atingiu três crianças."

    "Uma das crianças morreu e as outras duas ficaram feridas com gravidade, uma das quais ficou paraplégica e outra sem um braço."

    "No julgamento ficou provado que o pneu se soltou devido à fadiga de um rolamento. Apesar de ser comum o camião circular com carga a mais do que o legalmente previsto [...] os peritos não terão concluído que tenha sido essa a exclusiva causa da fadiga do material, admitindo a possibilidade de se estar também perante um caso de defeito de fabrico do rolamento."

    O camião andava com mais carga do que a legalmente permitida, o rolamento "deu o berro" e a roda (não apenas o pneu, ignorante de quem não distingue um pneu de uma roda completa) soltou-se. É óbvio que um eventual defeito de fabrico também pode ter ajudado ao desgaste prematuro, e consequente falha, do rolamento. Mas também é obvio que a utilização abusiva do camião foi a principal causa da falha.

    Levando ao absurdo: um indivíduo circula a 100 km/h dentro de uma localidade e atropela mortalmente uma pessoa. Para se ilibar ele alega que, segundo o fabricante do automóvel, o mesmo devia ter parado em 60 m e, segundo as marcas de travagem no local do acidente, a travagem se prolongou por mais de 80 m, logo, a culpa do acidente não é dele, o automóvel é que funcionou mal. Ridículo, não?

    Gargalhada do dia

    "Taxista detido por não afixar sentença a que tinha sido condenado" in Público

    "Um taxista foi hoje detido por não ter afixado na viatura o edital da sentença a que tinha sido condenado no ano passado por especulação."

    "O tribunal ordenou ainda que o edital fosse afixado na viatura usada pelo taxista, por um período de 30 dias a partir de 22 de Março de 2006, tendo a fiscalização da medida sido atribuída à ASAE."

    "No entanto, na fiscalização realizada hoje, os inspectores constataram que o edital “não se encontrava devidamente afixado na viatura”, tendo o motorista sido detido por desobediência qualificada."

    Problema resolvido!

    "Inag vai vigiar orla costeira de Leiria devido à erosão das arribas" in Público

    "As arribas são vertentes de costas rochosas, expostas à acção do mar. Estas formas naturais em constante destruição libertam detritos que podem fornecer areias que se acumulam nas praias."

    Temos o problema resolvido! Façam-se desabar as arribas que voltamos a ter praia onde ela deixou de existir.

    Dizer que o desabamento de arribas pode "fornecer areias que se acumulam nas praias" é desconhecer por completo a dinâmica dos sedimentos costeiros. Só se a agitação marítima não fosse capaz de movimentar os sedimentos, condição longe da realidade da nossa costa oeste, seria razoável afirmar tal coisa.

    Dado o vigoroso transporte sólido ao longo da nossa costa oeste, não faz qualquer sentido afirmar que o desabamento de arribas pode alimentar as praias. Qualquer volume de sedimentos "em excesso", resultante do desabamento de uma arriba, é rapidamente redistribuído pelo sistema fazendo com que, a já de si "pequena gota de água" que tal volume de sedimentos inicialmente representa numa praia, perca qualquer significado.

    Onde estão os "cientistas" que deviam trabalhar na redação do Público?

    quarta-feira, abril 19, 2006

    Apenas mais volta da engrenagem

    "Chefe da mafia siciliana Bernardo Provenzano detido em Itália" in Público

    "Nascido a 31 de Janeiro de 1933 e oriundo de Corleone, nas proximidades de Palermo, Bernardo Provenzano passou à clandestinidade em 1963. Tornou-se o chefe supremo da Cosa Nostra após a detenção, em Janeiro de 1993, de Toto Riina, mandatário dos assassinatos dos juízes antimafia Giovanni Falcone e Paolo Borsellino (1992)."

    A RTP vai ter mais um canal...



    Lembram-se da NTV? Provavelmente não. Esteve no ar tão pouco tempo que não deixou grande saudade. Tanto mais que as poucas emissões que fez foram um verdadeiro fiasco.

    O investimento da PT Multimédia na NTV, que mesmo depois da argolada com o CNL insistiu em tentar de novo a mesma fórmula só que mais a norte, só não se perdeu completamente porque a RTP, qual salvador saído da bruma, compra a "estação televisiva" e abre a RTPN.

    O N de Norte passa a ser N de Notícias e o canal faz, supostamente, concorrência à SIC Notícias. Digo supostamente porque, o único motivo plausível para ver a RTPN seria o noticiácio das 21:00. Contudo, com o Mário Crespo a apresentar o noticiário da SIC Notícias à mesma hora, quem vê o da RTPN?

    Auspiciando o mesmo destino que teve a NTV à Invicta TV, parece-me que, ou a RTP vai ter um novo canal, ou a Finnanza Investments vai ter um grande prejuízo.

    Vem aí o PEP

    Vamos ter passaporte novo! A malta que nos governa(?) é tão porreira que nos dá a papinha toda feita.

    A coisa já estava engendrada faz algum tempo. Mas só agora, que a coisa foi tornada "mais" pública, é que os velhos do Restelo se lembraram de começar a praguejar. Os culpados, mais uma vez, são os tenebrosos chips RFID.

    terça-feira, abril 18, 2006

    O AJAX domina!

    A minha primeira abordagem a um interface, em fase avançada de desenvolvimento, escrito em AJAX talvez tenha sido com o Gmail. Já lá vai algum tempo. A experiência tem sido agradável e suficiente para perceber que a tecnologia AJAX dá para fazer muito mais.

    O ajaxLaunch (com o lema AJAX for everyone) tem lançado, de forma regular, "aplicações" para qualquer um com acesso à internet. Já foram lançadas as seguintes aplicações:

    - ajaxWrite, substitui o MS Word;
    - ajaxSketch, substitui o Visio;
    - eyespot, é um produto original para misturar vídeo;
    - ajaxXLS, ainda não pode substituir o MS Excel porque apenas permite visualisar, sem alterar, ficheiros xls.

    A Microsoft que se cuide. Estes programas, ainda em fase experimental, podem ser a resposta aos muitos que apenas pretendem ver ou imprimir os ficheiros que trazem do escritório para casa, mas que não querem pagar as largas centenas de euros que custa o MS Office, ou recorrer a cópias piratas do mesmo.

    P.P.R.



    Max Allan Collins (1998), Road to Perdition. Paradox Press, New York, p. 247.

    Quase me escapava esta "pérola"

    "Supremo considera lícitos «correctivos» corporais dados a crianças deficientes" in Público

    "A mulher tinha sido indiciada por diversas situações: daria palmadas e estaladas às crianças, fechá-las-ia em quartos escuros quando estas se recusavam a comer. Foi condenada por apenas um caso (o tribunal considerou que, pelo menos por duas vezes, amarrou os pés e as mãos de um menino de sete anos, como forma de evitar que saísse da cama e perturbasse o seu sono), tendo sido condenada com pena suspensa."

    "O Supremo disse, aliás, que fechar crianças em quartos é um castigo normal de um «bom pai de família». E que as estaladas e as palmadas, se não forem dadas, até podem configurar «negligência educacional»." Qualquer dia ainda ouço por aí: "Anda cá para levares a tua estalada mínima semanal, não vá o vizinho acusar-me de «negligência educacional»."

    "O tribunal deu como provado que, entre 1990 e 2000, a arguida trabalhou naquele lar e que pelo menos desde 1992 fechou frequentemente um menor de sete anos (que sofria de psicose infantil muito grave) na despensa, com a luz apagada, para que aquele ficasse menos activo."

    Estou a ficar cada vez mais são...

    Querido Sr. Barroso (estes suecos devem estar loucos...)

    "Oito horas numa discoteca podem representar 15 cigarros para não fumador" in Público

    "É nas discotecas e nos bares que os níveis de contaminação do ar ambiental com nicotina são mais elevados. Nestes locais, um não fumador pode chegar a "fumar" o equivalente a 15 a 16 cigarros por cada oito horas, média que, nos restaurantes, desce para cerca de cinco a seis cigarros por dia de trabalho."

    Direito de resposta

    segunda-feira, abril 17, 2006

    Podcast

    Acabei de colocar uma música nova na grafonola cá do sítio.

    É uma versão da música Capitão Romance, dos Ornatos Violeta, cantada pela Margarida Pinto.

    Descobri-a no programa Notas do mundo da Rádio Zero (a rádio que dá a volta).

    Não fosse o serviço de podcast não teria ouvido o programa e consequentemente a música.

    Fortaleza digital, a mediocridade contra-ataca

    Amanhã, sai mais uma tradução para Português de um livro de Dan Brown. Desta vez é a Fortaleza digital, tradução do Digital fortress, que chega para infestar as estantes portuguesas.

    Depois de ter lido umas curtas passagens de O Código Da Vinci, que à boa maneira Dan Brown resultam em vários capítulos, e querendo dar um desconto ao autor, presumi que a fraqueza da escrita se pudesse imputar ao tradutor. Uns tempos mais tarde, para eliminar dúvidas e sem saber que este era o primeiro livro de Dan Brown, li o Digital fortress. Uma autêntica tristeza... Compreendo que haja quem considere o enredo cativante. Mas a escrita...

    Não posso aceitar que um escritor que assume que o leitor é mentecapto seja considerado outra coisa que não um pseudo-escritor.

    Justiça poética...

    "Centro Hospitalar de Vila Real acusado de operar utente ao pé errado" in Público

    "Rosa Tavares foi submetida a uma operação ao pé no dia 12. Deveria ter sido operada ao pé direito, mas quando acordou da anestesia viu que tinha sido operada ao pé esquerdo."

    Justiça poética seria os (irre)responsáveis pelo alegado engano verem o seu pé esquerdo debaixo da roda de um carro. Mas só se tivessem problemas no pé direito... Porque senão... os dois pés debaixo da roda!

    P.S: Eu não escrevi isto, deve ter sido um exemplar dessa espécie de ácaros da internet.

    Kung foge

    Procuram-se soluções!

    Millennium Problems

    Até que os prémios não são maus de todo...

    O que nasce torto, tarde ou nunca se endireita

    "Suspensão ou redução das portagens" in SIC Online

    O que fazer quando o Estado não acautela o futuro dos cidadãos?

    Implementar a tal "suspensão ou redução das portagens" implicará renegociar os contratos de concessão. Ou seja, nós, os utilizadores das auto-estradas, vamos sair a perder (ainda mais do que já pedermos).

    quinta-feira, abril 13, 2006

    O exemplo que eles nos dão

    "Falta de deputados no Parlamento impede votação de leis" in Público

    Contas feitas...

    Deputados preguiçosos que nem se deram ao trabalho de ir assinar o livro de presenças, sem terem previamente apresentado justificação para a ausência: 19 do PSD (25%); 2 do CDS-PP (17%); 1 do BE (13%) e 1 do PS (1%).

    Deputados mentirosos que assinaram o livro de presenças mas não estavam presentes na altura da votação: 48 do PS (40%); 31 do PSD (41%); 3 do CDS-PP (25%) e 2 do PCP (17%).

    Somando, deputados faltosos que não estavam presentes na altura da votação, sem terem previamente apresentado justificação para a ausência: 50 do PSD (67%); 49 do PS (40%); 5 do CDS-PP (42%); 2 do PCP (17%) e 1 do BE (13%).

    O "grupo parlamentar" mais preguiçoso é do PSD, com 25% dos seus deputados a nem aparecerem. O "grupo parlamentar" mais trafulha é... o do PSD!!! Mas nesta categoria vem seguido, de muito perto, pelo do PS.

    terça-feira, abril 11, 2006

    Senhoras e senhores!!!



    "Silvio Berlusconi: «Até Prodi votará em mim»" in Público

    "Silvio Berlusconi escolheu encerrar o debate final da campanha eleitoral em Itália com o anúncio da abolição de um imposto. De olhos em frente para a câmara: «Para nós a casa é uma coisa sagrada, como a família. E por isso anuncio que vamos abolir o imposto sobre a propriedade. Ouviram bem, abolir.» Era a mensagem final, sabia que Romano Prodi já não podia falar."

    "Ontem [...] Berlusconi dava início a outro tumulto. «Estimo demasiado a inteligência dos italianos para acreditar que existem tantos tomates ["coglione", termo usado para descrever alguém com "falta de miolos"] para votar na esquerda»".

    Podia ser pior...

    "Coligação de Romano Prodi vence eleições na Câmara dos Deputados e no Senado" in Público

    Falta de tempo (so they say)

    "Faltam lavatórios para médicos e enfermeiros nos hospitais" in Público

    "Calcula-se que entre 50 a 60 por cento dos médicos e enfermeiros em todo o mundo não lavem nem desinfectem as mão quando tratam os doentes. Uma falha responsável pela maior parte das infecções cruzadas nos hospitais, diz a Organização Mundial da Saúde (OMS)."

    "O excesso de trabalho é uma das justificações para que a higiene básica não seja respeitada. «A lavagem das mãos está ligada à quantidade de trabalho versus o número de pessoas disponíveis para o realizar. É complicado em unidades em que a pressão dos cuidados é muito grande conseguir que os profissionais tenham capacidade para fazer higienização das mãos tantas vezes como deviam», acrescenta."

    Se fôr para que lave as mãos, eu não me importo que o xôr dótor demore mais uns cinco minutinhos. Mais cinco minutos, menos cinco minutos... Ao final de várias horas a diferença nem se nota.

    segunda-feira, abril 10, 2006

    Uma mão lava a outra



    Max Allan Collins (1998), Road to Perdition. Paradox Press, New York, p. 235.

    Boa sorte

    "Semanário de José António Saraiva nas bancas a 16 de Setembro" in Público

    José Manuel Fernandes adiantou que "cerca de 90 por cento da redacção deverá ser formada por jovens jornalistas, na sua maioria recém-licenciados", aos quais se juntarão "o núcleo fundador e mais alguns jornalistas com maior experiência".

    P.S: Quando a cabeça não tem juízo...

    Assim não dá!

    "Indonésia: Primeira Playboy indonésia saiu hoje sem nudez, leitores desiludidos" in Lusa

    "É vergonhoso ter uma Playboy sem nudez", queixou-se um leitor à rádio 68H de Jacarta.

    "É um escândalo. Não há mulheres nuas nesta revista. Penso que fomos enganados", lamentou outro ouvinte.

    sábado, abril 08, 2006

    O Café das Sextas vai à frente!

    Somos o #1!!! Talvez não pelos melhores motivos, mas vejam isto.

    P.S: Caso o momento de glória tenha sido efémero fica aqui o troféu.

    Porque eu me preocupo...



    1, 2 e 3

    sexta-feira, abril 07, 2006

    Sensação

    Conhecem a sensação de olhar para uma cara e ter pensar: "Epá, já vi este gajo algures..."

    E depois faz-se luz: "Hah, já não o via desde as autarquicas!"
    Foto daqui.
    Para saber mais seguir por aqui.

    Seviço Público

    Há algum tempo, ao ler uma entrevista de Paulo Azevedo, em que este afirmava manter o jornal Público (propriedade do grupo sonae) por achar ser de Serviço Público apesar de dar prejuízo pensei, talvez ingenuamente, que estaria a falar verdade. Este conjunto de banners da edição on-line fizeram-me pensar novamente sobre a questão...




    *Lamento o arranjo das figuras, foi o melhor que consegui.
    ** Não consegui reduzir a dimensão da última imagem, Sócrates insiste em ficar em tamanho Kingsize
    .

    Assim também eu!



    Max Allan Collins (1998), Road to Perdition. Paradox Press, New York, p. 192.

    quinta-feira, abril 06, 2006

    Pensamento (alheio) do dia

    Modernices



    Quem não dispensa a utilização de feeds, tem agora uma nova ferramenta que torna a leitura do Café das Sextas mais fácil: um feed disponibilizado através do FeedBurner. Este feed adaptada automaticamente o seu formato ao "agregador" utilizado.

    P.S: O feed (Atom) do blogger continuará disponível por apenas mais algum tempo.

    quarta-feira, abril 05, 2006

    Moda

    Andar de cachucho no dedo vai passar a ter outro significado!
















    "Notícia" completa aqui

    terça-feira, abril 04, 2006

    Ah pois é!



    Max Allan Collins (1998), Road to Perdition. Paradox Press, New York, p. 187.

    Serviço público

    Hoje, no noticiário da RTP1, passou uma reportagem sobre a moda americana que, segundo querem fazer parecer, está agora a chegar a Portugal: processar as pessoas que descarregam, ilegalmente, música através da internet.

    A primeira parte da reportagem incluía uma pseudo entrevista a um miúdo-pirata. No monitor do PC via-se uma janela do Internet Explorer (grande pirata!) com um site que desconhecia: www.bearsharesoftware.com...

    P.S: Ainda deu para ouvir os cínicos do costume a dizerem que o interesse deles, que promovem este tipo de "combate ao crime", é a música, a protecção da propriedade intelectual... yada yada yada... e as astronómicas margens de lucro!!!

    Vida saudável...

    "Alentejo recebe primeira Conferência Nacional da Sesta" in Público

    "os adeptos da soneca vão juntar-se a médicos e sociólogos especialistas e falar sobre os benefícios de dormir após o almoço."

    "A sesta é «uma pausa natural, que ajuda a saúde física, psíquica e mental das pessoas», defende o presidente da comissão instaladora da Associação Portuguesa dos Amigos da Sesta (APAS)".

    "Fundada em Junho de 2003, a associação tem membros nos 18 distritos do continente e o seu objectivo, a curto prazo, passa por ter associados em todos os concelhos."

    Tenham cuidado com eles! Daqui a algum tempo eles vão ser mais influentes que os maçons. Isto é, se a sesta não for ficando muito longa... Agora a sério: dividir o sono em mais do que um período ao longo do dia parece ser uma atitude inteligente. Basta olhar para o mundo animal...

    Boa sorte

    Lógica empresarial...

    Big brother

    Pega de caras



    Max Allan Collins (1998), Road to Perdition. Paradox Press, New York, p. 173.

    segunda-feira, abril 03, 2006

    Discrição...

    Estado ou qualidade de quem é reservado e não dá nas vistas; reserva.

    Na revista Sábado do último fim-de-semana, encontra-se um artigo intitulado "Fortuna discreta". O artigo relata, de forma demasiado breve, a ascensão meteórica da família Rodrigues no negócio da construção, e também o recente espraiamento por outras áreas de actividade.

    É enaltecida a discrição que a família manteve, apesar de estrondoso sucesso empresarial que tem vindo a alcançar.

    Qualificar a actividade da família Rodrigues de discreta é coisa que não me passa pela cabeça. É preciso ser mentiroso, ou profundamente desconhecedor da realidade, para fazer tal coisa.

    Dois exemplos flagrantes: a construção do estádio municipal de Leiria deixou a câmara municipal sem capacidade financeira para, nas próximas décadas, realizar projectos úteis à população (convém esclarecer que a assistência média aos jogos da super liga realizados neste estádio ronda o milhar e o estádio tem capacidade para 30.000 espectadores); o "jornal" que o Grupo Lena detém é um pasquim com pouco ou nenhum valor informativo (à semelhança da maioria da imprensa local) cuja linha editorial corresponde inteiramente às necessidades dos seus proprietários.

    Só mais um exemplo... O Teatro José Lúcio da Silva (espaço controlado pela Câmara Municipal de Leiria) está a ser alvo de obras de remodelação. Quem as realiza? O Grupo Lena. Nem vale a pena questionar...

    Estou a ficar com as estantes cheias...

    Já lancei um ultimato ao governo. Ou me arranjam um local onde meter aquela tralha, ou mando-a toda para França!!!

    "Colecção de arte de Joe Berardo vai ficar no Centro Cultural de Belém" in Público